segunda-feira, 7 de maio de 2018

Da aniquilação

"Você precisa sentir saudades"
Sorriu internamente ao ouvir a frase.
Mal sabia, ao proferir tais palavras, que o sentimento aflorara há pouquíssimos anos; ainda era algo que estava sendo sentido e descoberto.

Naquele exato momento, não havia saudade e não se esperava que ela tivesse tempo suficiente de chegar.
Chegar, ficar, crescer e partir.
Partir inconformada por não ter sido aniquilada, por ter crescido além do que deveria e por ter definhado por conta própria, sem ajuda alguma da sua razão-mor de existir.

No seu lugar, ficou o conformismo de não interferir, a sensação de uma leve quebra de conexões proveniente das vontades não aparecerem nos mesmos instantes, o sentimento de " 'ok' quando for 'ok' ".

A medição apontava "2,5" (quando um número menor que 1,0 já era suficiente).
Com a saudade reduzida a pó, era necessário religar os pontos.
O mais impressionante é que isso não foi um problema: foi feito com maestria, mesmo sem pleno conhecimento de que era isso que se estava fazendo.

Provavelmente, a outra saudade -adulta, pulsante- soube ser guia para que tudo ocorresse da melhor forma possível...

Imagina que fantástico seria se as saudades, crescidas e cheias de discernimento, se encontrassem na mesma fase da vida?!

Saudade é um sentimento que se aniquila quente, fervendo.

sexta-feira, 30 de março de 2018

Das ocasionalidades

  Uma entrada despretensiosa no museu. Uma segunda visita na mesma sala: era preciso checar a visão que se teve.
  Andanças, andanças e mais andanças pelas ruas de pedra da cidade mais movimentada pelos turistas. Procura-se uma padaria, acha-se frutas, doce e pão de goiaba. Procura-se wi-fi, acha-se livro. Eduardo Galeano, para ser mais exata. Um verdadeiro achado!!!
  Uma primeira noite a base de danças tipicamente locais, histórias divertidas e mais andanças.
 
  Um amanhecer com praia! Não se pode fixar o olhar por muito tempo em um único ponto para não correr o risco de ser rude (apenas nas artes há liberdade para uma admiração mais demorada).
  Um entardecer com mais andanças (dessa vez, em busca de pão) e uma noite preenchida com risos, sorrisos e capoeira: há felicidade no meio dos turistas que lotam a cidade. Há um encantamento notório e um sorriso silenciosamente gritante.

  Uma trilha para encerrar a estadia! Com direito a um percurso tradicional e um percurso a ser desbravado. Com direito, também, à frutas compradas com os produtores locais: tomates, laranjas e -principalmente- goiabas! Um caminho, de ida e de volta, preenchido ora com o silêncio e sorrisos e ora com pensamentos interessantes e risos.

  (...)

  Tem coisas que traduzimos em palavras e tem coisas que sentimos (com o corpo e a alma) e deixamos ser percebidas por meio de olhares e sorrisos (os últimos dias foram assim)!

  Grateful =)


Trilha sonora:
It's so easy ("It's easy")
Welcome to the jungle ("Do you know where you are?")
Paradise City ("So far, away")
Sweet child o' mine ("Where do we go now?")

{29.3.18 - 01:47}

quinta-feira, 29 de março de 2018

Da espera de 15 anos

Foram 15 anos esperando pelos últimos 10 dias. Uma espera que valeu a pena. Uma espera que terminou no momento exato que deveria terminar.
A capital, a "cidade do meio", a mais badalada, a charmosa, a praia vista por todos e a capital novamente. Cada museu, cada foto, cada ida à padaria, cada pintura nas paredes me trouxeram a emoção de estar vivendo os ocorridos de quase 60 anos atras. As ruas, as pessoas, a segurança de andar em paz! O sorriso solto, os monumentos, as praias perfeitas, a felicidade de voltar a viajar.
É preciso dizer que: sim, é exatamente tudo aquilo que eu achava que seria. Melhor: foi muito mais que aquilo que eu achava que seria!!!
As coisas acontecem quando tem que acontecer; não importa se é necessário esperar 15 anos ou 2 dias, elas acontecem quando devem acontecer
{28.3.18 - 22:16}

O encantamento, a emoção e felicidade, são indescritíveis.
A respiração profunda, os olhos molhados o sorriso nos lábios são como consigo traduzir o sentimento dos momentos vividos.

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Das aparições

Um Leão apareceu na Praça da Liberdade.
Na Praça da Liberdade (que lugar mais propício)!
Observa, analisa, fica quieto, aproxima e vai embora.

É um Leão jovem, embora tenha comportamento e postura de adulto.
Natural de todo felino, é desconfiado, não permite facilmente uma aproximação e não dá um passo a frente sem a confiança de que será um passo certeiro.
Natural também de todo felino, é digno de apreciação e de encantamento (olhem essa foto!!!).
Além disso, ainda é natural de todo felino a afetuosidade e o humor, apesar de demonstrarem alto grau de seriedade (já viram um sorrindo?!).

As aparições são constantes e cada uma delas é uma oportunidade de criar confiança, de olhar nos olhos e minimizar uma barreira de proteção, de aproximar, de estar (e de ser).

Um Leão apareceu na Praça da Liberdade.
Poesia.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Do carnaval

O ano era 2010. 
Havia uma crise. 
Uma crise MUITO forte.

A solução encontrada, seguindo o jeitinho brasileiro, foi sair para pular no carnaval.
Aproveitar a folia, ser feliz por 4 dias, brincar, curtir, entrar na onda do feriadão, esquecer dos problemas do mundo, da crise, das tristezas, das dores.
Foram quatro dias muito bem aproveitados: praia, shows, fins de noite com direito a fast food, novos sabores, madrugadas a fio, ousadias, pessoas novas, filme na casa de amigos, outros caminhos, amigos de longas datas em todos os momentos, novas experiências.

Foi libertador, mesmo que a libertação (na prática) só tenha vindo depois de algum tempo.


O ano é 2018.
Não há uma crise real.
Mas foi usado o mesmo artifício de outrora (com algumas adaptações, claro).

Continua sendo libertador, mesmo que a libertação (na prática) já tenha ocorrido há algum tempo.


É quarta-feira de cinzas.
Há um sorriso nos lábios, uma mente tranquila e um bem estar sincero.

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Do apoio e encorajamento

É domingo de carnaval.
Precisava escrever sobre o mês de janeiro. Precisava, também, escrever sobre as últimas experiências e tomadas de decisões....
Mas a Vida, essa caixinha de surpresas, te presenteia com um livro.
Aproveito a oportunidade de contato pra falar toooooooooooooodas aquelas coisas que o alto grau de confiança, intimidade e compreensão permitem falar.
A certeza de que os bons conselhos devem ser ouvidos e colocados em prática, o modo claro e objetivo de aconselhar, a necessidade de ser lembrada daquilo que esquecemos quando somos ludibriadas...tudo fortalece, tudo encoraja, tudo reforça o crescimento.

Gratidão, Amigo!!!


Estou indo ali, buscar o tapetinho!!!

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Do reconhecimento

Quando eu te vi partindo naquela manhã de início de 2015, eu não achei que iria te ver novamente. Pelo menos não tão cedo. Pelo menos não do jeito que nos vimos. Pelo menos não pelos motivos que fizeram com que nos reencontrássemos.

Foi o mês de dezembro inteiro esperando você chegar!!!
E eis que você chega! Curioso, majestoso e confiante, como só você sabe ser!

O mais bonito de tudo é que você me reconheceu. Não, não é reconhecer de unicamente saber quem eu era ou lembrar dos cheiros ou da minha voz; não é nada disso.
Você se estressou com os novos cheiros da casa, teve medo do desconhecido, me viu cheia de pelos que não eram seus, se sentiu ameaçado, teve oportunidade de me atacar, mas você apenas me olhou. Seus olhos me encaravam profundamente, sem raiva ou medo de mim, era um olhar de "há algo de perigo no seu cheiro, mas eu sei que não é você em si". Seu olhar era doce, apesar da expressão de alerta.
Foi nesse momento que eu soube que você me reconheceu, que você estava de volta de verdade e que você não havia perdido sua essência.

Já faz praticamente um mês que estamos juntos novamente, sou grata de ter você aqui comigo mais uma vez. Sou grata pelo seu Amor e companheirismo, que em nada mudou nesses anos que ficamos afastados. Sou grata pelo seu olhar todo dia de manhã cedo, me dando bom dia, acompanhado de um afago na alma.

Gratidão por não dar trabalho;
Gratidão pela adaptação fácil;
Gratidão por aceitar morar numa casa pequena de coração grande;
Gratidão pelo Reconhecimento, Amor e Confiança!!!



Seja bem vindo (de volta),
meu Leãozinho em Selva de Arbustos =)